A solução Ubisign.com assenta numa plataforma de gestão de redes de sinalização digital/ Corporate TV desenvolvida em tecnologia Web (ASP.Net e Silverlight), na sua componente servidor e numa aplicação de tecnologia Microsoft .Net, na componente de cliente (player).


A componente servidor, assegura as funções de:


1. Servidor HTTP/HTTPS, para o interface de gestão da rede de sinalização digital, nas suas vertentes de desenho e calendarização de conteúdos, administração de utilizadores e permissões de acesso, monitorização e reporting do funcionamento da rede de Sinalização Digital
2. Servidor de Bases de Dados para arquivo dos dados relativos à organização e funcionamento da rede de Sinalização Digital
3. Servidor de Mídia para arquivo dos conteúdos utilizados nas programações apresentadas na rede de Sinalização Digital

O gerenciamento da rede de Sinalização Digital é feita de forma remota, por acesso ao servidor http://saas.ubisign.com, com recurso a um Web browser com o plug-in de Silverlight instalado. O interface de gestão está organizado em 4 áreas funcionais, a saber:


a) Início/Home
b) Redes/Networks
c) Biblioteca/Library
d) Monitoramento


Home


a) A página de Início/Home permite visualizar de forma rápida alguma informação sumária mas importante para a gestão da rede, nomeadamente:

• Listagem dos canais de conteúdos editados recentemente;
• Listagem de players a necessitar de eventual atenção por não estarem online
• Indicadores de utilização do sistema, tais como o número e volume de conteúdos alojados na biblioteca, número de players registados, data do último login do utilizador actual e identificação e data de login do último utilizador do sistema.


Nesta área podemos ainda fazer a gestão dos utilizadores do sistema e atribuir-lhes perfis que determinam o seu nível de permissões. Existem 4 perfis de base, a saber:


• Leitor/Viewer – Apenas pode visualizar a informação sobre a rede de Sinalização Digital, sem poder fazer quaisquer alterações
• Editor – Para além dos privilégios de leitor/viewer, pode editar os conteúdos existentes na biblioteca e adicionar novos
• Gestor/Manager – Para além dos privilégios de Editor, pode gerir os agrupamentos de players (networks), alterar os privilégios dos utilizadores do sistema e apagar conteúdos da biblioteca
• Dono/Owner – Para além dos privilégios de Gestor/Manager, pode criar novos utilizadores.


Usuarios


b) A área funcional de Redes/Networks compreende um conjunto alargado de funcionalidades relativas à organização lógica/administrativa da rede de players, à definição de canais de conteúdos, à sua programação temporal e à alocação desses mesmos conteúdos aos diferentes players da rede de Sinalização Digital.


Redes


Em detalhe, esta área funcional permite:


• Criar novas Redes/Networks (agrupamentos lógicos de players)
• Visualizar as redes existentes e os canais de conteúdos e respectivos players associados
• Aceder aos canais de conteúdos de cada Rede/Network para edição dos canais existentes ou criação de novos canais
• Aceder aos players de cada Rede/Network para alocação do respectivo canal de conteúdos, visualização da resolução gráfica e orientação do display associado, visualização do seu estado de execução e visualização de estatísticas de operação.


A atribuição de um canal de conteúdos aos players pode ser feita individualmente ou em bloco a todos os players de uma rede.

Nesta área podemos ainda fazer a gestão dos utilizadores do sistema e atribuir-lhes perfis que determinam o seu nível de permissões, desta feita ao nível de cada Rede/Network em particular. Existem 4 perfis de base, a saber:


• Leitor/Viewer – Pode visualizar informação relativa à(s) Rede(s)/Network(s) para as quais tem privilégios, mas não pode efectuar alterações.
• Monitor – Para além dos privilégios de leitor/viewer, pode visualizar as estatísticas de operação dos players pertencentes às Redes/Networks para as quais tem privilégios.
• Gestor/Manager – Para além dos privilégios de Monitor, pode gerir canais de conteúdos das suas Redes/Networks e alterar os privilégios dos utilizadores das suas Redes/Networks.
• Dono/Owner – Para além das permissões de Gestor/Manager, pode eliminar as suas Redes/Networks


Editor


Como referido, é nesta área do sistema que são realizadas as funções de edição dos canais de conteúdos, bem como a sua programação temporal.

Para o efeito, o sistema disponibiliza um interface em Silverlight, que agiliza este processo por recurso a um interface muito user-friendly e de fácil aprendizagem.

Um canal de conteúdos é constituído por um ou mais blocos de conteúdos. Cada bloco de conteúdos pode ser agendado de forma independente para ser visualizado em diferentes horas do dia, dias da semana ou dias do mês, com suporte de recorrência, ou, em alternativa, para ser visualizado constantemente, de forma cíclica. Para o efeito é disponibilizada uma agenda onde são registados esses momentos.



Cada bloco de conteúdos pode ser constituído por um ou mais layouts que são visualizados em sequência, de acordo com os timings estabelecidos. Por sua vez, cada template, pode ter uma ou mais regiões de conteúdo, sendo totalmente livre a sua definição em quantidade, posição e dimensão. O sistema oferece alguns layouts de base mas é possível criar novos layouts de forma livre e adicioná-los à biblioteca para uso posterior.


É plenamente suportada a sobreposição de regiões de conteúdos em distintos layers, com definição da sua ordem de sobreposição (eixo dos Z), à semelhança do que encontramos tipicamente nas aplicações de edição de imagem.


Em cada região de conteúdo é definida uma playlist que pode conter qualquer mix de mídia dos tipos suportados, tais como imagens, vídeo, áudio, flash, texto, Web Sites, feeds RSS , canais de TV ou fontes de vídeo externas, mensagens do Twitter, fotos do Facebook, feeds Media RSS (Picasa, Flickr, etc.), streaming de video (YouTube e MMS/HTTP), previsão meteorológica, notícias do portal Terra, resumo das novelas ou o zodíaco.


Editor


Para cada tipo de conteúdos (arquivo ou plugin), é possível configurar um conjunto variável de parâmetros que determinam a sua apresentação. Por exemplo, a visualização de feeds RSS pode ser feita em 2 modos distintos:


1. Simples (texto fixo)
2. Texto deslizante



Para cada modo, é possível configurar diferentes parâmetros, como o tipo de letra, o tamanho, o estilo e a cor dos vários elementos de texto e de fundo, os tempos de visualização de cada notícia, os efeitos de transição entre notícias, a idade máxima das notícias, etc.
Cada plugin tem os seus próprios parâmetros de configuração, em função das suas características específicas.


c) A área funcional da Biblioteca/Library reúne as funcionalidades de gestão de mídia a utilizar na rede de Sinalização Digital. Os mídia podem ser de tipo arquivo ou plugin


Biblioteca


No caso de mídia em arquivo, para os poder utilizar teremos de fazer o seu upload prévio para a Biblioteca. O mecanismo de upload abre uma janela para o sistema de ficheiros local e suporta o carregamento simultâneo de vários ficheiros, dispondo de um mecanismo de indicação do progresso.


Nos mídia de tipo plugin, temos de registar a sua fonte de dados. Existe actualmente suporte para fontes RSS, Web Site, previsão meteorológica com base no serviço Yahoo Weather, sites de vídeo (e.g., YouTube), sites de imagens (Flickr, Picasa), Redes Sociais (Twitter, Facebook), Blogues (Blogger), etc.


Alguns mídia de tipo plugin recorrem a dispositivos de hardware para capturar sinais de vídeo externos, seja uma camara de vídeo, uma set-top box (TV por cabo), um leitor de DVD, etc.


A qualquer dos tipos de mídia é possível associar tags, que podem depois ser utilizadas para auxílio à pesquisa, na altura da edição dos canais e das playlists.


Para os mídia de tipo arquivo, o sistema gera automaticamente um thumbnail no momento de upload, para facilitar o processo de identificação visual dos mídia. São também extraídos dos mídia, os meta-dados relevantes, como o seu tamanho (kbytes), a resolução gráfica nativa e eventual duração intrínseca (Flash e vídeo)


Na biblioteca existe uma secção dedicada a layouts, que podem conter apenas a definição das áreas de conteúdos ou, estas em conjunto com as respectivas playlists de conteúdos. Estes layouts ficam disponíveis para utilização no momento da edição dos canais de conteúdos e de playlists, não havendo restrição ao processo de adição de novos layouts à biblioteca.


biblioteca



d) A área funcional de Monitoramento agrega as funcionalidades relativas à consulta do estado de execução dos players da rede de Sinalização Digital e de reporting de estatísticas de visualização/funcionamento do sistema. Aqui encontramos um 1º nível de informação que nos dá conhecimento do estado de execução e do canal de conteúdos activo para cada um dos players da rede, informação que pode ser aprofundada com a consulta dos logs de cada player. Este mecanismo de consulta permite a pesquisa entre datas, dos momentos e tempos de visualização de todos os conteúdos emitidos, com possibilidade de filtragem por tipo de conteúdos. Permite de igual forma consultar os logs relativos ao funcionamento dos players, com informação relativa aos momentos de arranque e paragem, actualizações de conteúdo, alterações de canal, etc.


Monitor



É igualmente possível, na área de monitoramento, configurar o envio de alertas por email, para situações de não funcionamento ou impossibilidade de comunicação com os players da rede


A outra componente da solução, a componente cliente ou “player”, a instalar em cada PC que gerencia as telas, assegura a reprodução dos conteúdos programados, em cada uma das telas. Para realizar a sua tarefa de visualização, o player dispõe de plug-ins especializados para cada tipo de conteúdos, que vai utilizando em função das necessidades, ou seja, em função dos conteúdos que deve apresentar, conforme especificado no ficheiro de definição que lhe é entregue pelo servidor.


Importa aqui realçar que é sempre responsabilidade do player o contacto periódico com o servidor, para informar do seu estado de execução e saber da necessidade de actualizar conteúdos do canal em exibição ou mesmo da mudança do canal em exibição. Sempre que desse contacto resulte a necessidade de descarregar novos conteúdos, é também o player que tem essa responsabilidade, descarregando apenas os conteúdos novos ou alterados face aos que já tem armazenados localmente através de um processo de sincronização.


Com este mecanismo de carregamento dos conteúdos para um espaço de armazenamento local, foi possível implementar um mecanismo de cache que permite o funcionamento autónomo (off-line) mesmo em caso de falha de conectividade entre o sistema local e o sistema central.


O processo de transferência assíncrona de conteúdos do servidor central para os players (lojas) é realizado com base no serviço de transferência assíncrona de ficheiros Background Intelligent Transfer Service (BITS) da Microsoft que permite uma gestão dinâmica da largura de banda alocada, explorando as alturas de menor tráfego para realizar as transferências, bem como o suporte à recuperação automática (resume) em caso de falhas temporárias de comunicação.


O BITS utiliza os tempos idle de utilização da largura de banda da rede para as transferências, no sentido de interferir o menos possível com a disponibilidade de largura de banda para outra aplicações de rede.O BITS monitoriza a utilização da largura de banda e ajusta a sua utilização da mesma, em função do seu estado de alocação. Para esse efeito o tráfego BITS pode ser configurado em 1 de 4 níveis de prioridade e pode ser igualmente atribuída uma largura de banda máxima a ser utilizada nas transferências.


Para a visualização de conteúdos de vídeo em vários formatos para além dos formatos da Microsoft, o player utiliza os codecs disponíveis no PC local. Em caso de necessidade, são instalados codecs para reprodução de conteúdos MPEG, DivX, Alta Definição (720p e 1080i/p), Quicktime, WMV, e MP3. A reprodução de Adobe Flash é assegurada por um plug-in específico da Adobe, instalado nos players.